A mulher que sabia tudo

Boa tarde, meus curiosos! Aproveitei este dia chuvoso para vos vir cumprimentar com mais um livro lido! Resultado...


Este livro foi escrito por Santos Costa, que entre outras abraçou a "profissão" de escritor. No campo da literatura (revistas, jornais...) dirigiu jornais e revistas, promoveu um programa diário de rádio, foi ilustrador de livros e cartunista num semanário de Lisboa, colaborou em revistas de semanários e diários da capital, escreveu cerca de duas centenas de contos para uma revista feminina e obteve dois prémios literários. Este é o seu primeiro romance policial. 

Pois bem, como qualquer romance que se prese, há um enredo e este não é exceção. A história é passada na capital (é engraçado ler a descrição de sítios que conhecemos, a nossa imaginação trabalha ao contrário) e como qualquer bom policial temos uma bela mulher!



Ao ler esta sinopse não resisti e ao final da minha leitura, achei que...

Talvez por ser o primeiro romance do escritor, a história só se torna viciante já a meio do livro e a linguagem utilizada emprega, muitas vezes, o calão e a gíria.

A história gira à volta de um crime e o nosso autor é a personagem principal. Vai desvendar o mistério com romance à mistura. A meio do livro, já não apetece deixar a leitura e com o adensar do enredo, a mesma torna-se viciante.

Temos algumas surpresas no desenrolar da ação e até se pode constatar que, tal como o autor refere, a sua experiência na resolução de enigmas está no começo.

Tenho a certeza que o próximo será ainda melhor!
Vou continuar a ler este autor que gosta tanto de mulheres e, tal como eu e os meus queridos seguidores, é um curioso!

Sem comentários

Enviar um comentário

Obrigada por alegrares o meu dia com a tua preciosa opinião.

Não te esqueças de carregar no botão "notificar-me" para saberes o quanto aprecio a tua opinião e te respondo.